O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), em parceria com o Centro Técnico Estadual de Educação Rural Abaitará (Centec Abaitará) criou um Centro de Banco de Mudas da Cultivar BRS Capiaçu, localizado no município de Pimenta Bueno, com o intuito de possibilitar a doação de mudas aos produtores rurais e fortalecer a pecuária da região. Nesta semana, mais de 20 produtores foram contemplados com mudas da Cultivar BRS Capiaçu, uma excelente alternativa para suplementação volumosa, com um elevado potencial de produção e valor nutritivo para dieta do gado, em época de estiagem.

O projeto visa possibilitar a doação de mudas aos produtores rurais e fortalecer a pecuária da região

Um dos pilares da pecuária é a nutrição de qualidade, entretanto essa nutrição também representa a maior parte do custo variável dentro da atividade. Diante disso, buscar alternativas que possam trazer uma redução dos custos de produção e, mesmo assim, garantir a qualidade da suplementação dos animais é fundamental para aumentar a margem de lucro.

A cultivar tem valor nutritivo para dieta do gado

De acordo com o engenheiro agrônomo da Seagri, Ariel Gomes, a BRS Capiaçu surgiu através do capim-elefante desenvolvido pela Embrapa, que constitui alternativa de baixo custo para suplementação volumosa, com reflexos positivos principalmente na estação seca.

“Com o objetivo de oferecer alternativa para suplementação volumosa, a Embrapa desenvolveu a cultivar de capim-elefante BRS Capiaçu, com elevado potencial de produção e bom valor nutritivo, visando a utilização na forma de silagem ou picado verde. A BRS Capiaçu apresenta porte alto, touceiras de formato ereto, folhas largas e compridas, de cor verde e nervura central branca, colmos grossos, internódios compridos e de coloração amarelada. Ela ainda apresenta elevada densidade de perfilhos basais, florescimento tardio e boa resistência ao tombamento. A BRS Capiaçu deve ser propagada por meio de colmos e apresenta gemas com elevado poder de brotação”, explica Ariel sobre a cultivar.

O potencial de produção de biomassa da BRS Capiaçu supera a do milho e o da cana-de-açúcar, atingindo média de 50 toneladas por hectare ao ano de matéria seca. Outra característica favorável desta cultivar é a tolerância ao estresse hídrico, o que a torna alternativa ao cultivo do milho em regiões com alto risco de ocorrência de veranicos. A BRS Capiaçu pode ser cultivada em locais de clima tropical, e é exigente em relação às condições do solo, devendo ser cultivada em solos profundos, bem drenados e de boa fertilidade.

A Escola Abaitará, responsável pela produção da cultivar, é um centro de ensino profissionalizante, estruturado com equipamentos e instalações agropecuárias próprias para o ensino e prática dos estudantes, que podem optar por três cursos diferentes dentro da mesma temática, sendo eles em agronegócio, agroecologia e agropecuária.

A escola possui uma área total de 287 hectares destas 188 ainda são de florestas preservadas, e a área explorada é ocupada com criações de gado de leite, ovinocultura, suinocultura e criações de aves caipira, cuja produção é usada para o abastecimento interno, mas podendo gerar um excedente comercializável.

 

 

 

Fonte
Texto: Sara Cicera
Fotos: Ariel Gomes
Secom – Governo de Rondônia