Uma comitiva formada pelos secretários de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), coronel PM José Hélio Cysneiros Pachá, e da Educação (Seduc), Suamy Vivecananda Lacerda de Abreu, visitou, na segunda-feira, 16 de novembro, o Tribunal de Justiça de Rondônia, a fim de conhecer o Centro Integrado de Monitoramento – CIM, sistema de segurança que atinge todos os prédios do Poder Judiciário de Rondônia.

Recebidos pelo juiz secretário-geral, Rinaldo Forti, pelo diretor do Gabinete de Segurança Institucional do TJ – GSI, Glodner Pauleto, e pelos coordenadores da área de segurança patrimonial do Tribunal de Justiça, cel. Hilton José de Santana e Fabiano Paiva, os representantes do Governo do Estado buscaram informações sobre equipamentos e software utilizados, com a intenção de verificar a viabilidade de implantação em escolas estaduais com potencial risco de sofrerem danos patrimoniais.

Moderno e eficaz, o sistema implantado pelo TJRO trouxe mais segurança a servidores, magistrados e usuários do Poder Judiciário. Os equipamentos foram instalados em todas as unidades e estão interligados com o edifício-sede, onde funciona a central de monitoramento, que usa o sistema Digifort, customizado para as características da instituição.

Além disso, o PJRO conta com a atuação de servidores e policiais militares à disposição das unidades em todo o Estado, além de 656 câmeras de vídeo. Todo esse aparato previne, inclusive, furtos e até vandalismo, como já registrados no passado, antes da instalação, em algumas unidades.

Os prédios são equipados, ainda, com raios-X e detector de metais. A tecnologia adotada inclui, também, o reconhecimento facial, além de circuito fechado de televisão, sensores e alarmes; itens considerados de ponta entre os tribunais de justiça de todo o país.

A necessidade de garantir um acesso seguro, se deu por conta da intensa movimentação de pessoas nos prédios. Só no edifício-sede do Tribunal, em Porto Velho, trabalham mais de 900 servidores. O local também tem, em média, 450 visitantes, entre defensores, promotores, advogados, procuradores e a sociedade em geral.

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Institucional TJ-RO