José Aparecido Oliveira
José Aparecido de Oliveira

Trabalhando como vigilante na Unesc em Vilhena desde 2014, José Aparecido de Oliveira tornou-se figura bastante conhecida e querida na faculdade e ele pôde perceber isso ao passar por um momento de dificuldade! Algum tempo atrás, ao chegar em casa, Seu Aparecido encontrou tudo revirado e viu que algumas de suas coisas haviam sido levadas por bandidos.

O roubo virou manchete de alguns jornais da cidade e chamou a atenção de Anna Laura Oliveira, acadêmica do 3º período do curso de Direito da Unesc, que reconheceu o vigilante da instituição.

“Fiquei comovida, porque o Seu Aparecido sempre ajuda a gente em tudo! A princípio eu iria pedir para as pessoas apenas algumas coisas para ajudar. Mas ele perdeu muita coisa. Algumas pessoas deram a ideia de comprarmos e repor as coisinhas dele, aí me surgiu a ideia da Vakinha. Aí ele mesmo poderia comprar o que lhe faltava e o que ele perdeu”, explica a acadêmica da Unesc.

O termo “Vakinha”, citado por Anna Laura, trata-se de um site para se fazer a tradicional vaquinha, onde pessoas se juntam dando contribuições para atingir determinado objetivo financeiro, por meio da internet.

“A partir do momento que criei o link da Vakinha em prol do Seu Aparecido, eu já comecei a divulgar e muitos alunos, professores e funcionários da Unesc abraçaram a causa. Arrecadamos aproximadamente dois mil reais. Ele ficou muito agradecido! Disse que jamais esperava isso e que era muito grato por ter pessoas como nós ao lado dele”, destaca Anna.

Seu Aparecido conseguiu repor as coisas que lhe foram roubadas em casa, até mesmo a botija de gás, e também conseguiu realizar um desejo antigo e comprou uma moto para poder se deslocar. Era de bicicleta que seu Aparecido ia e voltava, de casa para a Unesc e da Unesc para casa.

Sobre a iniciativa de Anna Laura e a adesão de alunos e colegas de trabalho à sua causa, o vigilante da Unesc se emociona. “Foi muito importante pra mim, pois não esperava que toda essa situação que passei ganhasse tal repercussão. Quando eles me pediram em que podiam me ajudar, eu confesso que fiquei emocionado em saber que sou querido por tantos alunos, professores e funcionários. Com a vaquinha virtual que criaram para me ajudar, eu comprei as minhas coisinhas de novo e consegui comprar uma motinha. Agradeço a todos que me ajudaram”, enaltece.

(Giliane Perin – Assessoria de Imprensa/Unesc)