Rondinelly Moreira Santos, agora na Draco 2, continua como delegado titular da Polícia Civil na comarca de São Francisco do Guaporé, porém ficará na interinidade na Operação Pau Oco para colaborar com as equipes de outros delegados que fazem parte desta operação.
Rondinelly Moreira Santos, delegado titular da Polícia Civil na comarca de São Francisco do Guaporé, assumiu recente e interinamente o Departamento de Estratégia e Inteligência (DEI), do Núcleo de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco 2), na cidade de Cacoal. Como a Delegacia de São Francisco do Guaporé está sem delegado titular há quase um mês, o delegado Reinaldo Reis, da comarca de Costa Marques, está prestando serviços policiais no lugar do titular da Comarca de São Francisco do Guaporé provisoriamente.
A Draco 2 está cuidando da peça de inquérito policial de número 017/2019, que vem investigando pessoas como Daniel Pereira, ex-governador do Estado de Rondônia, Osvaldo Pitalluga, ex-servidor da Sedan, entre outros.

O nome do presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, desembargador Walter Walternberg Silva Júnior, foi ventilado em áudios vazados à imprensa, porém o magistrado tem foro de função o qual cabe o Superior Tribunal de Justiça fazer qualquer investigação sobre o caso relacionado à Operação Pau Oco.

Acúmulo em duas delegacias

Rondinelly Moreira Santos, agora na Draco 2, continua como delegado titular da Polícia Civil na comarca de São Francisco do Guaporé, porém ficará na interinidade na Operação Pau Oco para colaborar com a equipe de outros delegados que fazem parte desta operação, uma vez que três dos delegados foram substituídos e deslocados para outras delegacias por determinação superior até a conclusão de inquérito instaurado para apurar se os investigadores agiram em conluio para se beneficiar com atos ilícitos quanto à esquema criminoso de fraudes em notas fiscais sob controle da Sedam para a comercialização de madeira, o qual o modus operandi era esquentar o referido documento para se enriquecer com prática ilícita voltada à venda de madeira extraída ilegalmente.

Fonte: Planeta Folha