Quem não realizar o descarte de lixo de forma regular em ruas e canais e for flagrado será multado. O caso mais recente em Macapá aconteceu na quarta-feira (21) quando um morador do bairro Nova Esperança, na Zona Sul, foi autuado em R$ 1,5 mil após ser visto por fiscais despejando uma caixa d’água cheia de entulhos no canal.

Segundo a prefeitura, desde o início do ano, já foram cerca de 20 casos do tipo registrados em ações rotineiras para evitar alagamentos na cidade. O homem foi flagrado no momento em que uma estava na área fortemente afetada pelas chuvas dos últimos dias.

“Enquanto limpavam o canal, esse morador se aproveitou da situação para despejar todo o entulho de sua casa e uma multa grave, no valor de R$ 1.5 mil, foi aplicada. Ele tem até 15 dias para recorrer e preparar a sua defesa”, detalhou Augusto Almeida, titular da Secretaria Municipal de Manutenção Urbanística (Semur).

Ainda segundo a pasta, a situação é recorrente em diversos pontos da cidade e acarreta em crime ambiental previsto na Lei Orgânica do município. A multa pode variar de R$ 500 a R$ 2 mil caso a situação gere riscos de saúde e vida à população.

“É um trabalho diário, as pessoas descartam guarda-roupas, geladeira, colchões e entulhos de obras nos canais e vias. Isso é um crime contra a cidade, cada pessoa é responsável pelo material gerado. Descartes deste tipo devem ser feitos por uma empresa especializada até o aterro sanitário”, explicou.

Em dois dias de limpeza, foram retirados do canal do Nova Esperança cerca de 10 toneladas de lixo de toda ordem, como para-choques de carros, carcaças de máquina de lavar e garrafas plásticas.

Numa outra ocorrência em janeiro, mais de 50 garrafas pets, bolas de futebol e cadeiras já foram retiradas de um único bueiro na cidade.

Os alagamentos acabam causando cenas inusitadas, como moradores que foram vistos andando de caiaque em vias submersas. Segundo previsão, fortes chuvas ainda devem atingir 10 municípios do estado até março, incluindo a capital.

Ainda para prevenir os alagamentos na cidade, foi realizado o alargamento da margem direita do Canal do Jandiá, entre as zonas Norte e Leste, prevenindo que a enchente tivesse maiores consequências, segundo a prefeitura.

A Semur conta com o apoio da população para combater os casos de descarte irregular de lixo e disponibiliza um telefone exclusivo para denúncias anônimas, através do número (96) 99970-1078, que também atende via Whatsapp.

“Pedimos que seja identificada na denúncia a rua, bairro, e se possível, a placa do carro e número da casa. Apesar das chuvas intensas, o despejo de entulhos é o principal responsável por entupir as bocas de lobo, impedindo a drenagem natural da água. Precisamos que a comunidade entenda isso”, completou o secretário.

Foto: Prefeitura de Macapá/Divulgação

Fonte: G1