Bandidos assaltaram cerca de 80 pessoas que estava na Secretaria de Assistência Social de Marabá (Seasp), na manhã desta terça-feira (22), no sudeste do Pará. Os criminosos trancaram ás vítimas dentro do prédio do órgão público e fugiram em um carro da Câmara Municipal.

De acordo com as testemunhas, cerca de três homens armados renderam duas funcionárias da Seasp e invadiram o prédio para efetuar o assalto.

“Eles já cegaram com a arma mostrando e dizendo que era um assalto. Que era para a gente não reagir. Pegaram o meu celular, da companheira e entraram, levaram a gente junto “, disse Irene Gomes, recepcionista da Seasp.

Os bandidos entraram em quase todas as salas do prédio, recolhendo celulares, computadores e objetos pessoais de funcionários e usuários que ficaram em pânico.

Eles não entraram na nossa sala, porém em outras salas eles fizeram um arrastão. Levaram alianças, cordão, celulares e deixaram muita gente passando mal. Foi um susto entanto, espero nunca mais passar por esta situação” relatou Silvanir Gomes, estagiária da Seasp.

Uma funcionária da Seasp que não quis se identificar informou que o prédio não possui câmeras de segurança e não há Guarda Municipal para fazer a segurança do local.

“Tiveram pequenos furtos, mas um assalto dessa natureza é a primeira vez. mas nós vamos pleitear câmeras de segurança, alguns dispositivos e pessoal para estar fazendo essa segurança, pois estamos muito vulneráveis aqui na secretaria”, disse a funcionária.

A Seasp foi o segundo órgão público de Marabá a ser assaltado em agosto. O primeiro foi o Hospital Materno-Infantil, no dia 3 de agosto. Um homem armado rendeu e assaltou um funcionário, grávidas e acompanhantes. A unidade também não conta com câmeras de segurança e nem Guarda Municipal.

Em nota, a prefeitura de Marabá informou que está em fase final de elaboração do projeto de armamento da guarda municipal, o que deve dar mais segurança aos órgãos públicos. Outra medida que será providenciada é um monitoramento dos prédios por um centro de controle operacional.

Fonte: G1