Áudios vazados recentemente causaram grande repercussão em Ouro Preto do Oeste, berço político do ex-deputado e ex-prefeito Alex Testoni, que despontava com chances de ser governador, mas teve a carreira abalada após investigações comandadas pelos delegados Júlio Cesar e Roberto Santos. Os dois, que conseguiram a prisão de Testoni foram afastados da Draco após a divulgação de conversas sobre um suposto plano para prender o presidente do Tribunal de Justiça.

Nos áudios divulgados anteriormente são atribuídas aos delegados Júlio Cesar e Roberto Santos conversas nas quais pretenderiam ameaçar o presidente da Assembleia Legislativa. Também veio à tona um suposto plano para incriminar o ex-governador Daniel Pereira.

Mas o que está causando mais impacto em Ouro Preto do Oeste é -se sobre um suposto plano para que pessoas da Polícia Civil “se infiltrem” na política. É citado que o Estado tem muito dinheiro, com um Orçamento de mais de R$ 7 bilhões, mas que pouco disso iria para a Polícia.

Outro trecho é o de que políticos foram presos em Rondônia, a exemplo do que aconteceu em outros Estados. No município esses áudios levantaram a suspeita de que poderia haver um plano para desestabilizar a classe política, beneficiando o grupo de policiais.

O ex-prefeito Alex Testoni deixou a vida pública depois de sua prisão, na operação comandada pelos delegados Júlio Cesar e Roberto Santos. Agora começam a aparecer evidências de que ele foi injustiçado, transformado em bode expiatório.

A trajetória política de Alex Testoni pode explicar a razão de ter sido escolhido em uma investigação. Quando chegou à Assembleia Legislativa ele denunciou a existência de 600 funcionários fantasmas e a de um contrato fantasma para a compra e manutenção de computadores. Com isso, economizou R$ 9 milhões aos cofres públicos.

Quando foi candidato a prefeito de Ouro Preto do Oeste, venceu com 75% dos votos. Depois de reeleito, terminou o mandato com 92% de aprovação, e todas as suas oito contas foram aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado.

Então, de repente os dois delegados denunciaram Alex Testoni, acusando-o de dar um prejuízo de R$ 6.500,00 à prefeitura ao contratar um show por R$ 65 mil. Também foi acusado de promoção pessoal, já que seria candidato ao governo. A acusação foi mantida mesmo após ser constatado que Testoni promoveu o show nos oito anos que atuou como prefeito, e que pagava metade do que o mesmo artista cobrou em um show idêntico, em Goiânia.

Por causa de supostos R$ 6.500,00, ele teve a carreira política destruída. É por isso que o áudio onde se fala sobre o método de prender políticos para “se infiltrar”, e da necessidade de haver “amigos da Polícia”, que possam “ajudar”, está causando tanta repercussão em Ouro Preto.

Fonte:rondoniagora.com/